quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Foi preciso te perder para poder me encontrar...













 "...Ao finito e infinito do nosso existir..."










( " Este sono da gente, o universo..."
Fernando Pessoa  )










Haverão de existir outras formas tão plenas
De viver e de cotidianamente se amar!
Entender todas as razões verdadeiras
E de saber valer a pena todo o sonhar!

Não mais viver por viver...
E sempre estar próximo de algo bem maior
Tendo assim,  mil maneiras do despertar:
Não tendo como não mais se libertar, eternamente...


Hoje encontrei novamente o motivo...
E sempre estarei cantando e não haverá
Tristeza que possa me alcançar,
Pois agora eu sei bem... Estar em pleno habitar!


Compreender o finito e infinito em nós 
E ater-se: Não nas coisas ínfimas...
Mas sim, nas coisas bem mais do que rimas:
Estas definitivamente...  Ousarão  em ficar!











Pictures:  A sesta: Vincent Van  Gogh

http://rradeir.blogspot.com/2010/10/astronomia-na-arte-de-vincent-van-gogh.html










3 comentários:

  1. O Amor acolhe, cuida, doa-se. É preciso doar-se para não se perder, acolher para dividir. A ostra nos ensina sobre o perfume da vida e nos oferece sua mais nobre cicatriz: a pérola.
    Um abraço com carinho, poeta.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Fico sempre feliz por tentar ser merecedor de suas belas, preciosas e acalantadoras palavras! Sempre bem vindas: Tornando mais claro o nosso por vir!

    com admiração.

    Luis

    ResponderExcluir